Doenças do Quadril Pediátrico

O objetivo desta seção é alertar para as possíveis patologias do quadril pediátrico.

É de extrema importância o diagnóstico precoce destas alterações, realizando a tentativa de evitar seqüelas que possam trazer problemas para a vida da criança. Estas patologias podem estar presentes desde o nascimento e manifestar-se apenas na adolescência ou na maturidade, ou também se iniciar na primeira infância e na adolescência.

Geralmente, em grandes centros médicos, as patologias listadas a seguir são acompanhadas e tratadas por especialistas em Ortopedia Pediátrica. Caso não encontre este profissional em sua cidade, você pode - e deve - procurar um ortopedista para uma avaliação de rotina de seus filhos ou sempre que suspeitar de alguma alteração.

 


Displasia

DISPLASIA DO DESENVOLVIMENTO DO QUADRIL

A teoria mais aceita para esta patologia está na má posição intra-uterina do feto, que dificultaria o desenvolvimento adequado do acetábulo (“encaixe da bacia”), tornando a cobertura da cabeça do fêmur insuficiente.

Possui vários graus de gravidade, desde leve displasia até luxações congênitas.

O tratamento deve ser precoce para estimular o crescimento do formato adequado do acetábulo.

Pode ser inicialmente assintomática!

Todas as crianças recém nascidas devem ser submetidas a exames clínicos com pediatras ou ortopedistas para detecção precoce. Na idade adulta pode causar artrose precoce e limitações para marcha.

 

 

legg perthes

 

DOENÇA DE LEGG-PERTHES

Pode ocorrer dos dois aos dezesseis anos aproximadamente.

Ocorre a perda de nutrição de parte da cabeça femoral, chamada de epífise, levando à necrose e deformidade gradual. Inicialmente pode se manifestar com dor insidiosa ou crises de dor após exercícios.

Em alguns casos a dor pode ser referida no joelho. Causa limitação de mobilidade na evolução. Possui graus variados de gravidade.


 

 

 

 

 

epifisiólise

EPIFISIÓLISE

É o escorregamento da cartilagem de crescimento da cabeça femoral, chamada de epífise, ocorre exatamente ao nível da cartilagem de crescimento. Geralmente acomete adolescentes obesos e altos. Pode ser assintomática ou apresentar-se como dor insidiosa, crônica. Eventualmente pode haver crise de dor aguda, quando o escorregamento é brusco. Normalmente necessita de tratamento cirúrgico para fixação.

Acredita-se que a epifisiólise assintomática é a causa mais comum do que chamamos de Impacto Fêmoro-Acetabular (veja link específico). Nestes casos, a dor pode aparecer apenas na idade adulta.

 

 

 

artrite séptica

 

ARTRITE SÉPTICA E OSTEOMIELITE

A combinação de febre e dor em algum membro ou articulação em crianças deve ser considerada uma emergência médica. Não espere! Leve seu filho ao pronto socorro para uma avaliação. Tenha cuidado com crianças recém nascidas porque elas podem não apresentar febre. Se de uma hora para outra ela começa a chorar ou pára de movimentar espontaneamente algum membro, leve-a ao pronto-socorro.

A artrite séptica é causada pela infiltração bacteriana no líquido articular e deve ser tratada com limpeza cirúrgica. É um quadro emergencial na criança.

A osteomielite é caracterizada por infecção bacteriana no osso. Pode ser tratada com medicações ou com cirurgia, dependendo de parâmetros técnicos.

Eventualmente pode ocorrer o que chamamos de Sinovite Transitória do Quadril, de menor gravidade, que normalmente regride espontaneamente. Está geralmente associada a quadros virais ou gripais. Também deve ser avaliada e acompanhada por serviço médico.

 

 

 

Desenvolvido por: iNOWEb