Anatomia do Quadril

É importante que você tenha uma noção básica da anatomia do quadril para um melhor aproveitamento do conteúdo deste site.
Desenho Anatômico


 

O quadril, ou articulação coxo-femoral é formado pelo osso da bacia (pelve) e o fêmur (o mais longo osso do corpo).

Assemelha-se a uma esfera dentro de uma taça invertida. A esfera é a parte de cima do fêmur, ou cabeça do fêmur, e a taça é o acetábulo (de acetabulum – do latim).

Entre os dois ossos existe uma camada de cartilagem que possibilita o deslizamento com mínimo atrito e a lubrificação entre estas superfícies, além de espessos ligamentos, que mantém a articulação firmemente unida.

 

 

 

 

 

 


Desenho do Labrum Na borda do acetábulo existe uma estrutura de cartilagem fibrosa parecida com um lábio (no latim: labrum).  Esta estrutura tem funções importantíssimas na manutenção do selo articular, na lubrificação, na distribuição homogênea de carga na cartilagem, na propriocepção, etc  Tem sido muito estudado nos últimos anos.

Será abordada em detalhes nos links sobre artroscopia e impacto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Músculos

Estas estruturas estão envoltas por poderosos músculos, chamados de músculos anti-gravitacionais, que permitem que adotemos a postura bípede. Estes músculos por sua vez possuem fortes tendões e pequenas bolsas interpostas (ou bursas - do latim), possibilitando um melhor deslizamento.
 

Além dos ossos, cartilagens, ligamentos, labrum, músculos, tendões e bursas ainda nos interessam as artérias e veias, responsáveis pela circulação sangüínea e os nervos, responsáveis pelo estímulo motor e sensibilidade.

O quadril possui basicamente três planos de movimento: lado-a-lado, para frente e para trás e rotações para dentro e para fora. Chamamos estes movimentos respectivamente de: abdução-adução, flexão-extensão e rotação interna-externa. Ele proporciona movimento e estabilidade ao corpo, atuando de forma sincronizada durante a marcha com toda a musculatura dos membros inferiores, coluna e pelve.

Devido ao “design” do quadril ser angulado e lateral ao eixo do corpo, este suporta grandes pressões durante a marcha, podendo chegar numa caminhada normal até a três vezes o peso do corpo e até cerca de OITO vezes o peso do corpo numa corrida rápida!

Os problemas que afetam o quadril se devem a alterações na harmonia funcional ou morfológica de uma ou mais das estruturas acima descritas e serão explicados nos links adiante.
 

 

 

Rx normal

 

Desenvolvido por: iNOWEb